Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Agridoce

Um mundo à tua medida!

Agridoce

Um mundo à tua medida!

29/08/15

Sábado em Castelo de Paiva

Já correu por todo o país a moda da caminhada nos Passadiços de Paiva, então hoje como é fim de semana e em boa companhia decidi ir experimentar!

Confesso que a caminhada foi bastante dolorosa, mais de nove quilómetros a caminhar a um ritmo rápido com algumas escadas à mistura não é fácil mas terminamos o percurso num bom tempo (duas horas contando com pausas a meio do caminho para beber água e comer qualquer coisita). O que posso dizer é que valeu a pena e a paisagem é maravilhosa. Embora o sítio ainda esteja polvilhado de turistas, tanto nacionais como estrangeiros, uma das vigilantes do parque disse-nos que a enchente de pessoas tende a diminuir nas próximas semanas, no início de setembro. Aconselho-vos irem lá e fazerem a mesma coisa e deixo algumas dicas para os aventureiros/aventureiras:

  1. Primeiro e muito importante, é necessário ter resistência para fazer este tipo de exercício pelo que não é aconselhável fazer o percurso com crianças demasiado pequenas e/ou pessoas com problemas a nível dos ossos ou músculos.
  2. Para conseguirem fazer o trajeto sem preocupações devem estar nos passadiços mais tardar às dez (porque senão como os dias estão bastante quentes ficam cheios de calor a fazer a caminhada). Também não devem esquecer o equipamento adequado: roupa desportiva, sapatilhas (preparem-se porque elas vão ficar sujas por isso não é conveniente levar sapatilhas demasiado novas), protetor solar e óculos de sol.
  3. Como a caminhada é cansativa convém levar no mínimo uma garrafa de litro e meio, de preferência gelada (nós (que eramos quatro) precisamos de comprar outra pelo caminho porque a nossa água acabou, no entanto não se preocupem pois ao longo do caminho existem pessoas a vender água fresquinha entre outras coisas) e comida (tal como bolachas, fruta...) para abastecerem as vossas reservas de hidratos de carbono.
  4. É aconselhável levar também uma t-shirt para trocar (pois durante e após da caminhada, como devem compreender pelo nível de exigência da mesma ficam bastante transpirados.
  5. O trajeto tem dois sentidos (um que vai da Espiunca ao Areeiro e o outro que vai pelo caminho contrário). Aconselho-vos (para não se cansarem tanto) a fazer o caminho do Areeiro à Espiunca pois embora esse seja mais exigente no início (com subidas e 293 escadas para subir) depois é mais soft e é quase sempre plano ou a descer. Se forem pelo caminho contrário tem muito mais subidas e escadas para subir (o que é mais complicado, na minha opinião). Há outro aspeto igualmente importante: se levarem dois carros (nós levamos porque fomos com mais quatro amigos, ou seja eramos oito) deixem um carro em cada ponta do trajeto para ser mais fácil. Caso utilizem apenas um carro não stressem porque há muitos táxis que vos podem trazer de volta ao ponto inicial.
  6. Coisas que não devem perder pelo meio e no fim do trajeto: a ponte suspensa (basicamente vocês ficam por cima do rio e vêm a paisagem toda, o que é muito fixe) e a praia fluvial que fica pelo meio do trajeto (mesmo ao lado da ponte suspensa) e que é bastante agradável (chega a ter mesmo uma corda em que se podem balançar e lançar-se para a água). Claro que se quiserem ir à praia fluvial é conveniente levarem toalhas e biquínis/calções. No fim do trajeto existe um espaço muito agradável com mesas de piquenique e pufes (para quem leva almoço de casa ou para quem compra almoço no snack bar que tambémse encontra nesse local) ou se quiserem comer os melhores bifes da região apontam o carro para Alvarenga e garanto-vos que vão ter um almoço fantástico no restaurante Zé Mota (embora o nome seja duvidoso eu adorei os bifes de lá, que são relativamente grandes) até porque após a longa caminhada (parecia que nunca mais acabavam os passadiços) vocês vão ter vontade de comer este Mundo e o outro.
  7. E, por último uma pequena nota: não devem ir para lá sozinhos (porque se acontecer alguma coisa é conveniente estarem com alguém por perto, uma vez que a ambulância demora algum tempo a chegar). Caso aconteça algum acidente, pelo caminho creio que há três pontos telefónicos SOS. Os mais corajosos podem fazer o caminho ida e volta (embora seja um pouco mais cansativo).

Espero que tenham gostado da sugestão e das dicas. Também podem seguir a minha viagem aos Passadiços de Paiva no blog da Mia, clicando aqui que acho que também vai publicar um post sobre o assunto.

Gi

 

14 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Conta - me a tua história

Este blog tem algo de especial. Nesta casinha fazem - se entrevistas a bloggers e por isso se queres ser o próximo entrevistado basta enviares um email para agridoceblog@sapo.pt com o teu nome ou pseudónimo e link do teu blog. Beijinhos Mia

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.