Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Agridoce

Um mundo à tua medida!

Agridoce

Um mundo à tua medida!

31/08/15

Piadas da princesa lá de casa #3

Ultimamente não tenho revelado muito o lado humorístico da M. mas há uns dias ela teve uma reação que pôs a família toda a rir a bandeiras despregadas. O acontecimento deu-se quando a M. brincava com a prima mais velha (que tem seis anos) na praia. A prima da M. tinha o dente da frente a abanar à bastante tempo e nesse dia a M. mandou-lhe acidentalmente com o calcanhar na boca enquanto brincavam na areia e o dente caiu começando ela a sangrar da boca e a chorar a altos berros. Passado um bocado passou-lhe a fita mas rapidamente recomeçou a chorar quando percebeu que o dente se tinha perdido na areia. A M. ajudou nas buscas e passado um bocado volta com uma pedrinha branca na mão. Virando-se para a prima com uma cara muito séria ela diz:

- Prima, é este o teu dente?

Claro que aí toda a gente se começou a rir até a prima da M. que por essa altura já havia esquecido o dente perdido.

 

31/08/15

Momento de infância

Todos nós já ouvimos histórias da nossa infância atracés de familiares de que não nos lembramos. A história que contam sobre mim é que aos três anos comecei a ler.

Não pensem que sou sobredotada ou qualquer coisa do género, aquilo que se passou era que eu fazia crer às pessoas que estava a ler mas na verdade tinha uma memória de elefante. Após ouvir duas ou três vezes a mesma história memorizava-a do príncipio ao fim, palavra por palavra e até chegava a percorrer com o meu dedo as palavras enquanto fingia que lia. A parte engraçada da questão é que não era fácil me enganar. Quando as pessoas estavam cansadas de me ler as histórias e começavam a avançar partes da história ou a resumi-la eu mandava-as parar porque se tinham enganado e mandava-as repetirem a história até terem lido exatamente aquilo que lá estava a dizer.

Atualmente ainda gostava de ter esta espécie de super memória fotográfica mas tenho vindo a perdê-la ao longo do tempo e embora consiga decorar facilmente não consigo memorizar manuais inteiros o que me dava jeito nos meus testes. Infelizmente nem sempre conseguimos manter os nossos super poderes de criança.

E vocês, também têm histórias engraçadas sobre a vossa infância?

Gi

 

31/08/15

Conta-me a tua história #4

Hoje venho apresentar-vos a Catarina, 22 anos, uma alma sonhadora e uma escritora maravilhosa, que também é dona do blog Apenas a Lua.

E, sem mais demoras, que venha a nossa entrevista!

G – Olá Catarina
C – Olá Gi, muito obrigada por esta oportunidade
G – Obrigada eu por teres aderido ao projeto. Porque é que criaste um blog?
C – Eu já tinha blogs de escrita, até que um dia uma blogger perguntou-me porque não criava um blog um pouco mais pessoal, andei algum tempo a pensar, até que me decidi e criei-o e foi a melhor coisa que fiz, com ele conheci pessoas maravilhosas e aprendi a gostar mais de mim própria.
 G - Já verifiquei que no teu blog tens uma pequena rúbrica, o “Cantinho da Leitura”, onde dás a conhecer aos blogueiros uma pequena parte do teu talento para escrever. Um dia mais tarde gostarias de publicar esses textos? Porquê?
C – Sim gostava e muito, esses ou outros, porque desde pequena que amo escrever, quem me passou este bichinho da escrita foi o meu bisavô, é o meu herói e um exemplo a seguir, foi ele que me ensinou a escrever, uma pessoa que me marcou e muito, não sei se algum dia falei disto mas, marcou-me e vai marcar sempre, quando tinha 6 anos o meu bisavô faleceu nos meus braços, morreu com um ataque cardíaco, nesse dia fiz uma promessa a ele mas principalmente a mim, que nunca ia desistir da escrita, podia ser uma miúda mas eu já gostava e muito de escrever e um dia se conseguir publicar um livro vai ser dedicado a ele e à minha bisavó, duas pessoas que foram essenciais para mim e a quem tenho de agradecer sempre.
 Marcou-me para a vida esse momento, andava no 1º ano e nesse ano deixei de saber ler e reprovei, comecei a ser seguida na psicóloga, afastei-me dos meus amiguinhos e a partir daí fui sempre uma pessoa que se afastava das outras, comecei a ter medo da reacção dos outros, com isso e com o passar dos anos comecei a ser gozada na escola, não tenho muitos amigos, sou uma pessoa tímida, mas que agora tenho vindo a melhorar aos poucos e sei que quem gostar de mim é pelo que sou e que não tenho de mudar por ninguém e hoje tenho 2 anjos que olham por mim no céu, o meu bisavô e a minha bisavó. Muitas pessoas nunca entenderam a minha maneira de ser, mas só quem passa por isto consegue entender e quem me gozava na altura afectou-me e muito, cheguei no 12º ano a querer desistir da escola por causa dos colegas de turma, mas não desisti e posso dizer que cresci e muito, tudo isto tornou-me uma pessoa mais forte, hoje quando passo por quem  me gozava, sorrio de cabeça erguida, eu sou superior a pessoas parvas que não sabem ser humanos.
  Se alguém que leu isto tiver problemas e quiser falar comigo estão à vontade, sempre que conseguir ajudar, faço-o de boa vontade.
G - Porque é que escolheste o nome “Apenas a Lua” para o teu blog?
C – “ Apenas a Lua” porque eu quando era pequena não pedia brinquedos, mas sim, a Lua, sempre gostei dela e chorava quando me diziam que não a podia ter.
G – Se pudesses mudar uma coisa na tua vida, qual seria?
C – Se pudesse mudar uma coisa na minha vida, não voltava a confiar em quem me magoou, mas por outro lado agradeço a essas pessoas porque com isso cresci.
G – E se pudesses mudar duas coisas no Mundo? O que é que mudarias?
C -  No mundo, acabava com a guerra e com a fome.
G – Quais consideras as tuas maiores qualidades?
C -  As minhas maiores qualidades: ser amiga e solidária.
G – E os teus maiores defeitos?
C -  Teimosia e a timidez.
G - Qual (ou quais) é (ou são) o (s) teu(s) maior(es) sonho(s)?
C – O meu sonho é um dia publicar um livro.
G – O que diz o teu coração neste momento?
C -  Diz-me para não desistir dos meus sonhos e que um dia vou conseguir.
G - Obrigada pela tua participação. Foi muito bom ter-te connosco.
C -  Eu é que agradeço e muito obrigada a quem está sempre desse lado com uma palavra amiga.

 

E assim terminou a nossa entrevista. Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais a Catarina. Para a semana há mais e relembro que podem inscrever-se nesta entrevista enviando-me um email para agridoceblog@sapo.pt com a indicação do vosso nome, idade e link do vosso blog.

 

31/08/15

Bloglovin'

Não sei se já vos disse mas juntei-me ao bloglovin', um site para blogs no qual também se podem inscrever e que permite receber notificações quando os blogs que seguimos publicam um post, dá para guardar posts para ver mais tarde, dá para deixar comentários (como se estivéssemos mesmo no lbog dessa pessoa), dá para outros blogs vos seguirem  e é excelente para divulgar o blog.

Eu já me juntei e está a dar-me bastante jeito! Se têm bloglovin' e quiserem seguir-me, no lado direito o ecrã vai aparecer-vos uma janela com um botão para me seguirem, quem não tem toca a criar para experimentar.

Gi

 

30/08/15

Tag "Completa a frase..."

A Vanessa do blog Nuages dans mon café nomeiou várias pessoas para responderem a esta Tag que consiste em completar as seguintes palavras de forma a formarem frases. EU não fui uma das nomeadas, no entanto ela disse que qualquer pessoa que quisesse poderia fazer a Tag pelo que decidi participar.

Sou muito teimosa.

Não suporto que me critiquem demasiado.

Eu nunca fiz paraquedismo (mas gostava de fazer).

Já me zanguei quando era pequena por não ter tido o presente que queria no Natal.

Quando era criança cantava na praia à frente de toda a gente.

Neste exato momento estou com vontade de dormir um bocadinho.

Morro de medo de pássaros (é a fobia mais estranha de sempre!

Sempre gostei de gelados (especialmente gelados de chocolate :P)

Se eu pudesse comprava uma casa à beira da praia.

Adoro ler livros de romance, mistérios... Na verdade qualquer um serve!

Fico feliz quando as pessoas são simpáticas para comigo.

Se pudesse voltar no tempo gostava de viver um dia na corte do rei Louis XIV.

Quero viajar para Inglaterra ou Itália.

Eu preciso de estar com os meus amigos.

Não gosto de ver pessoas a serem violentas umas com as outras.

Nomeio para responderem à tag a Catarina (http://luaaa07.blogspot.pt/), Mia (http://agridoceblogs.blogspot.pt/), Aventureira (http://aventuras2014.blogs.sapo.pt/), Carlos (http://algunsmomentosmeus.blogs.sapo.pt/)  e quem mais quiser responder à tag.

Gi

30/08/15

Confusão na caixa do pingo doce

Ontem, como faltava molho inglês para o jantar, ofereci-me para ir ao pingo doce comprá-lo. Encontrei facilmente o molho inglês com a ajuda de uma funcionária (quando não sei onde estão as coisas opto por perguntar para não perder demasiado tempo e vou para a caixa mais vazia num sábado à noite ou seja, com duas pessoas à minha frente). A partir daí começam a acontecer-me os mais incríveis azares.

Em primeiro lugar o detetor de artigos não estava a detetar os códigos de barras de alguns dos artigos pelo que a senhora da caixa teve de estar a escrever os códigos de barras da maioria deles o que, como devem de entender, leva muito mais tempo. Depois de atender a primeira pessoa à minha frente começa a atender o senhor que estava à minha frente e aí tudo começa a descambar. O senhor vê que só tenho um artigo na mão enquanto que ele tem um saco cheio de compras e mesmo assim não me deixa passar à frente. Depois, antes de a menina começar a passar os artigos dele no detetor de artigos ele lembra-se que precisa de ir buscar um gelado e deixa-nos à espera. De seguida, ao voltar, a funcionária passa os artigos todos e ele prepara-se para pagar as compras com o cartão de crédito mas eu aviso a funcionária de que ela se havia esquecido da melancia. Lá tem ela de cancelar o pagamento e de passar a melancia enquanto o senhor fala a altos berros ao telemóvel. Quando a conta já está pronta outra vez para ele pagar, o senhor diz que acabou de falar com os seus amigos ao telemóvel e que afinal vão ser menos para jantar por isso pede à funcionária para anular alguns dos artigos. Ela (que revelou ser nova no trabalho) chama a responsável e pede para retirarem alguns artigos. Enquanto as duas tratam disso uma nova caixa abre-se e vejo as pessoas que estavam atrás de mim a dirigirem-se para lá enquanto que eu continuo por atender. Nas outras caixas verifico também que as outras pessoas que estavam ao mesmo tempo que eu para pagarem as suas compras já se foram embora contentes da vida. Nesse momento finalmente a funcionária consegue acabar a conta do senhor à minha frente e finalmente eu sou atendida, meia hora mais tarde. Fiquei furiosa! Será que sou a única pessoa a quem estas coisas acontecem?

 

29/08/15

Sábado em Castelo de Paiva

Já correu por todo o país a moda da caminhada nos Passadiços de Paiva, então hoje como é fim de semana e em boa companhia decidi ir experimentar!

Confesso que a caminhada foi bastante dolorosa, mais de nove quilómetros a caminhar a um ritmo rápido com algumas escadas à mistura não é fácil mas terminamos o percurso num bom tempo (duas horas contando com pausas a meio do caminho para beber água e comer qualquer coisita). O que posso dizer é que valeu a pena e a paisagem é maravilhosa. Embora o sítio ainda esteja polvilhado de turistas, tanto nacionais como estrangeiros, uma das vigilantes do parque disse-nos que a enchente de pessoas tende a diminuir nas próximas semanas, no início de setembro. Aconselho-vos irem lá e fazerem a mesma coisa e deixo algumas dicas para os aventureiros/aventureiras:

  1. Primeiro e muito importante, é necessário ter resistência para fazer este tipo de exercício pelo que não é aconselhável fazer o percurso com crianças demasiado pequenas e/ou pessoas com problemas a nível dos ossos ou músculos.
  2. Para conseguirem fazer o trajeto sem preocupações devem estar nos passadiços mais tardar às dez (porque senão como os dias estão bastante quentes ficam cheios de calor a fazer a caminhada). Também não devem esquecer o equipamento adequado: roupa desportiva, sapatilhas (preparem-se porque elas vão ficar sujas por isso não é conveniente levar sapatilhas demasiado novas), protetor solar e óculos de sol.
  3. Como a caminhada é cansativa convém levar no mínimo uma garrafa de litro e meio, de preferência gelada (nós (que eramos quatro) precisamos de comprar outra pelo caminho porque a nossa água acabou, no entanto não se preocupem pois ao longo do caminho existem pessoas a vender água fresquinha entre outras coisas) e comida (tal como bolachas, fruta...) para abastecerem as vossas reservas de hidratos de carbono.
  4. É aconselhável levar também uma t-shirt para trocar (pois durante e após da caminhada, como devem compreender pelo nível de exigência da mesma ficam bastante transpirados.
  5. O trajeto tem dois sentidos (um que vai da Espiunca ao Areeiro e o outro que vai pelo caminho contrário). Aconselho-vos (para não se cansarem tanto) a fazer o caminho do Areeiro à Espiunca pois embora esse seja mais exigente no início (com subidas e 293 escadas para subir) depois é mais soft e é quase sempre plano ou a descer. Se forem pelo caminho contrário tem muito mais subidas e escadas para subir (o que é mais complicado, na minha opinião). Há outro aspeto igualmente importante: se levarem dois carros (nós levamos porque fomos com mais quatro amigos, ou seja eramos oito) deixem um carro em cada ponta do trajeto para ser mais fácil. Caso utilizem apenas um carro não stressem porque há muitos táxis que vos podem trazer de volta ao ponto inicial.
  6. Coisas que não devem perder pelo meio e no fim do trajeto: a ponte suspensa (basicamente vocês ficam por cima do rio e vêm a paisagem toda, o que é muito fixe) e a praia fluvial que fica pelo meio do trajeto (mesmo ao lado da ponte suspensa) e que é bastante agradável (chega a ter mesmo uma corda em que se podem balançar e lançar-se para a água). Claro que se quiserem ir à praia fluvial é conveniente levarem toalhas e biquínis/calções. No fim do trajeto existe um espaço muito agradável com mesas de piquenique e pufes (para quem leva almoço de casa ou para quem compra almoço no snack bar que tambémse encontra nesse local) ou se quiserem comer os melhores bifes da região apontam o carro para Alvarenga e garanto-vos que vão ter um almoço fantástico no restaurante Zé Mota (embora o nome seja duvidoso eu adorei os bifes de lá, que são relativamente grandes) até porque após a longa caminhada (parecia que nunca mais acabavam os passadiços) vocês vão ter vontade de comer este Mundo e o outro.
  7. E, por último uma pequena nota: não devem ir para lá sozinhos (porque se acontecer alguma coisa é conveniente estarem com alguém por perto, uma vez que a ambulância demora algum tempo a chegar). Caso aconteça algum acidente, pelo caminho creio que há três pontos telefónicos SOS. Os mais corajosos podem fazer o caminho ida e volta (embora seja um pouco mais cansativo).

Espero que tenham gostado da sugestão e das dicas. Também podem seguir a minha viagem aos Passadiços de Paiva no blog da Mia, clicando aqui que acho que também vai publicar um post sobre o assunto.

Gi

 

28/08/15

Velhas amizades

A maioria dos mortais como nós só tem direito a uma destas amizades na vida. Daquelas amizades que sabem que vão durar sempre (a não ser que algo de muito grave aconteça). Eu tive direito a uma delas.

A minha melhor amiga e eu conhecemo-nos desde que nascemos. Até suspeito que já nos conhecíamos antes de nascermos porque as nossas mães trabalham no mesmo sítio e ficaram grávidas quase ao mesmo tempo.

Se calhar é por isso que sempre nos demos tão bem. Que eu me lembre nem uma só vez discutimos. Conhecemo-nos uma à outra como a palma da nossa mão, sabemos todos os segredos uma da outra e sei que ela me contou coisas que não contou a mais ninguém.

Não costumamos estar muitas vezes juntas agora porque entretanto os nossos destinos separaram-se e cada uma tem de seguir com a sua vida mas as poucas vezes que nos encontramos entendemo-nos tão bem como se não tivéssemos estado separadas nem sequer um dia.

Claro que tenho muitas melhores amigas, mas nenhuma me entende e me apoia como a A. Creio que somos como duas metades da mesma bolacha.

E sei que um dia quando ficarmos as duas velhinhas, com as caras cheias de rugas a tricotar lã continuaremos a ser as mesmas amigas de sempre, a apoiar-nos uma à outra em tudo, tal como sempre fizemos. E diremos a quem passar:

- Somos velhas amigas. Nos dois sentidos da frase.

 

28/08/15

Fama

 Celebridades... Acho que todos nós conhecemos e admiramos algumas tais como: Brad Pitt, Beyoncé, J.K. Rolling, D.A.M.A., Daniel Oliveira, Príncipe William entre outros. Mas já pensaram que talvez este nome, celebridades, esteja associado a pessoas completamente normais, como todos nós: com defeitos e qualidades, simpáticas e antipáticas, bonitas ou menos bonitas, que são perseguidas por todo o lado só porque exposeram o seu dom ao Mundo, ou porque as suas famílias são influentes ou simplesmente porque o seu modo de subsistência só podia ser esse? E todos nós ambicionamos fazer parte desta lista VIP de pessoas exclusivas mas será que eles não quererão sair dessa vida às vezes e serem vistos como pessoas ditas normais? Poderem passar na rua sem serem abordados por toda a gente quando estão atrasados para um compromisso super importante, poderem ir aos sítios que quiserem com quem quiserem sem as revistas cor de rosa lançarem um novo escândalo sobre eles? Será que a fama não terá um preço demasiado pesado para pagar? Pensem sobre isso e digam-me a vossa opinião.

 Gi

 

 

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

imagem de perfil

Conta - me a tua história

Este blog tem algo de especial. Nesta casinha fazem - se entrevistas a bloggers e por isso se queres ser o próximo entrevistado basta enviares um email para agridoceblog@sapo.pt com o teu nome ou pseudónimo e link do teu blog. Beijinhos Mia

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.